Melancolia carnavalesca.

Ele a sentia em seu âmago.
A lhe amargar o espírito.
Maldita, maldita.
Ele se repetia.
Maldita melancolia.
Queres ver como dou fim a ti?
Tirou-a do coldre.
Sentiu o aço frio encostado na têmpora direita.
Morra desgraçada, morra.
Ecoa o vazio.
Impera a apatia.
Escorria a melancolia.
Presa ao sangue e à massa encefálica de Pedro.

3 Ouvintes:

Pedro Dantas disse...

Rafa, se quer me matar, que não seja por meio de versos! AEIUHEAIAEHAEIUHAEIAEHAE
Enfim, ótimo post, mesmo!

Rafaella B. disse...

Ai, ai Pedro... Quem dera os meus Pedros fossem tão bem-humorados como você.

Obrigado querido.

Pedro Dantas disse...

Aí vem a outra face da hipocrisia. hahaha

Postar um comentário