Um caso, por acaso.

Ele caminhava como se estivesse sozinho.
E de fato estava.
Mesmo acompanhado daquela bela mulher.
Tentava se lembrar de onde a conhecia.
Eram vãs suas tentativas.
Andava perdido.
Em meio as pessoas e pensamentos.
Distanciava-se o olhar.
Da mulher e da realidade.
Chegara à encruzilhada de sua vida.
Fechou os olhos e atravessou.
Ecoou a sonora buzina.
- Você está muito novo para morrer. - disse ela.
- E se for apenas o tempo certo? -
Pensou e nada disse.

7 Ouvintes:

gabs disse...

"E se for apenas o tempo certo?" Sempre lindo querida.

deia.s disse...

"- E se for apenas o tempo certo? -"
Um belíssimo post *-*
Adorei o seu blog e estou seguindo.
Se puder segue o meu também?
http://amar-go.blogspot.com/

- Desde já agradeço, bjo.

Rafaella B. disse...

Gabi, Déia...
Fico lisonjeada com os seus elogios, mas tratem de não me iludir hein. É que às vezes eu dou sorte de escrever algo aprazível aos seus olhos maravilhosos :)

Porkão disse...

É uma tentativa de suícidio ou o acaso vai me proteger enquanto eu andar distraído ?

Rafaella B. disse...

Porkão

Acho que seria mais o caso de não evitar o que a alma deseja no íntimo.

Porkão disse...

Mas e o corpo não tem desejos ?

Rafaella B. disse...

O corpo reflete o que a alma deseja. Ou pelo menos, deveria ser assim.

Postar um comentário